quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Um pouco do nada (Ou Devaneio em vão)

A catarse, o dilema e a insobriedade.
A luz, o escuro e as palavras.
O dito, a prece e as angustias.
A sina, o mérito e os amores não resolvidos.

Evoca em minh'alma uma eterna inquietude; desejos incontroláveis, sonhos inacabados. Numa mesma balança, a leveza do ser e o peso de existir.

Sobrevivo a base de antagonismos, paradigmas e sonhos. Cada dia que se passa, me dopo um pouco mais, numa dosagem lenta e viciosa.

Não me incomoda ser odiado.
Não me incomoda ser criticado.
Não me incomoda ser quem eu sou.
O que desfaz a minha mente é ver o senso comum, se tornando cada dia mais comum e caótico.

Não espere muito de mim, porque creio que depositar no outro a condição de absorver e justificar nossas fraquezas e defeitos, é uma tentativa descabida e utópica. Eu? Sou eu, por mais que o meu eu não seja como a maioria dos outros "eus", e desagrade.
Não procure me entender, não perca tempo com isto, amigo! A essência está sempre nas entrelinhas. Creio que gostar de mim não seria mera questão de empatia. É tarefa árdua, exige paciência e um pouco de sorte.
.
Prefiro contestar à aceitar.
Prefiro argumentar à me render.
Prefiro a solidão convicta à companhias ilusórias.

Prefiro Bob aos Bobs.


(Lucas Mayer - 02/Fev/2010)

5 comentários:

  1. perfeito mesmo ! Adorei!

    ResponderExcluir
  2. Muito Perfeitooo.....
    Ameii tudo! =)

    ResponderExcluir
  3. Não me incomoda ser odiado.
    Não me incomoda ser criticado.
    Não me incomoda ser quem eu sou.

    ADOREII BOB!!!

    ResponderExcluir